O cidadão é o primeiro responsável pelo bem público

Íris residente a alguns anos na França, chegava a passeio no Brasil. Sendo franco-brasileira, possuía dupla cidadania, neste sentido, conhecia bem a cultura do Brasil e da França. Nos jornais lá fora ela sabia dos fatos rotineiros que ocorriam no Brasil, apesar disso deixar-lhe desanimada, sempre sentia necessidade de realizar visita a seus amigos e… Continuar lendo O cidadão é o primeiro responsável pelo bem público

PARADOXO DO ESTADO BRASILEIRO NO SISTEMA SOCIOEDUCATIVO

“Zé Ninguém” possui 17 anos de idade, morava com a tia, vivia em uma comunidade do “Morro Sem Vida”, e desde muito cedo abandonou os estudos, pobre e sem oportunidades, conheceu cedo o universo da criminalidade. Em meio a tudo que o foi apresentado, veio cometer um homicídio por dívidas com drogas, diante disso, foi… Continuar lendo PARADOXO DO ESTADO BRASILEIRO NO SISTEMA SOCIOEDUCATIVO

Páginas em branco e os pincéis da vida

Beatriz era artista plástica e vez ou outra fazia quadros, uns encomendados, outros para si mesma como lazer. Certa vez, ela começou a auxiliar sua sobrinha adolescente nos primeiros contatos com a arte. Árdua missão, já que Joana não acreditava possuir habilidades com as cores. Em cada contato, mais Joana se sentia incapaz por não… Continuar lendo Páginas em branco e os pincéis da vida